Reforma política e reorganização do Estado brasileiro

A rejeição do presidente Michel Temer e de sua antecessora, Dilma Rousseff, assim como a rejeição da classe política em geral deixam claro o óbvio: A política brasileira precisa mudar, e para que isso aconteça não basta mudar os políticos, e sim a estrutura política brasileira, e também a forma como se faz política em nosso país.

A política e o governo devem ser próximas do cidadão, não do Distrito Federal. O governo deve cumprir o que é prometido. Caso contrário deve ser removido o mais breve possivel. Nossos políticos, e não só a presidência da república, não devem ser os ditadores que se dizem conhecedores da vontade do povo, mas sim cumpridores de nossa vontade. Os eleitores e as comunidades devem ter voz ativa sobre suas necessidades e no uso de recursos. Os municipios e estados devem representar a entrega dessas necessidades e não agirem somente como arrecadadores de impostos e idealizadores de obras de infraestrutura.

A história recente mostra que os políticos, em seu instinto de sobrevivência, utilizam todos os artifícios de uma legislação política arcaica para permanecer no poder, mesmo que isso seja contra a vontade da maioria da população, inclusive daquela que os elegeu.

Como forma de reverter isso, defendo uma reforma política completa no Brasil, mudando a forma como os políticos atuam e como nossos partidos e sistemas administrativos são organizados. Algumas de minhas ideias para uma reforma política no Brasil:

Para saber mais sobre minhas ideias, além de outras sugestões para de fato implementar uma reforma política no Brasil, visite meu blog e leia meus artigos semanais. Neles exponho as atuais dificuldades do governo, além de soluções que evitem que todos os problemas que vivemos como país recentemente voltem a acontecer.

TELEGRAM